Projetos pedagógicos para 2007

Em busca de uma consciência planetária

“ É na inconclusão do ser, que se sabe como tal, que se funda a Educação como processo permanente. Mulheres e homens se tornam educáveis na medida em que se reconhecem inacabados.”
Paulo Freire

Justificativa

A Terra é um planeta vivo. Abaixo e acima da superfície da Terra desenvolve-se uma atividade intensa e variada, que produz e sustenta a vida.
Essa atividade envolve todas as forças da natureza. Forças vivas (animais e plantas) e não-vivas (vulcões, ventos e correntes marítimas) por exemplo, que atuam sobre o relevo, o solo, o clima, a vegetação e as águas.
Essas forças agem em conjunto na formação dos ambientes naturais. Em cada ambiente, as chuvas, os rios, as matas e os animais atuam para manter o equilíbrio de todo o conjunto. É esse equilíbrio que garante o funcionamento do meio natural e a continuação da vida dentro dele.
Nas últimas décadas, presenciou-se a divulgação de debates sobre os problemas ambientais do planeta, mas a simples divulgação destes, não assegura a aquisição de informações e conceitos referendados pelas Ciências. É bastante comum a banalização do conhecimento científico - o emprego de ecologia como sinônimo de meio ambiente- é um exemplo! A partir do senso comum, os indivíduos desenvolveram representações sobre o meio ambiente, pouco rigorosas do ponto de vista científico. É papel da escola, portanto, provocar a revisão dos conhecimentos, valorizando-os e buscando enriquecê-los com informações científicas...
Como conteúdo escolar, a temática ambiental permite apontar para as relações recíprocas entre sociedade e ambiente, marcadas pelas necessidades humanas, seus conhecimentos e valores. A questão ambiental traz à tona a discussão a respeito da relação entre os problemas ambientais e fatores econômicos, políticos, sociais e históricos. São problemas que acarretam discussões sobre responsabilidades humanas voltadas ao bem-estar comum e ao desenvolvimento sustentável, na perspectiva da reversão da crise sócio-ambiental planetária.
Em coerência com os princípios da educação ambiental, destaca-se a necessidade da reconstrução da relação homem-natureza, a fim de derrubar definitivamente a crença do homem como “senhor da natureza” e alheio a ela e ampliando-se o conhecimento sobre como a natureza se comporta e a vida se processa.
A questão ambiental vem sendo considerada cada vez mais urgente e importante para a sociedade, pois o futuro da humanidade depende da relação estabelecida entre a natureza e o uso pelo homem dos recursos naturais disponíveis.
São inúmeras as causas e conseqüências da poluição no planeta, a maior parte relacionada ao uso predatório dos recursos naturais por intermédio de técnicas inadequadas. Cabe ressaltar que a poluição é uma questão global, pois atinge a dinâmica do planeta em seu equilíbrio. Por exemplo; poluentes lançados no ar pela queima de combustíveis fósseis atingem a atmosfera e, por ação das chuvas, retornam à superfície terrestre, contaminando solos e águas.
A devastação da cobertura vegetal de determinada região diminui as chuvas, entope os rios e impede a irrigação natural do solo. Nessa região, o desenvolvimento da vida animal e vegetal torna-se bem mais difícil. A exploração madeireira, o mau uso do solo na agricultura e o avanço desordenado das cidades têm prejudicado muito a vegetação do nosso território.
Fatos semelhantes já aconteceram e continuam acontecendo na história do planeta. São provocados pelos movimentos da natureza e principalmente pela ação do homem...
Pelos conhecimentos e pelos meios de que se dispõe, o ser humano é o ser vivo que tem a maior capacidade de intervir e modificar o ambiente natural, mas muitos dos recursos naturais são limitados e o homem, não tem dado conta disso!
Fora da escola, os nossos alunos desenvolvem uma série de explicações acerca dos fenômenos naturais, que podem ter uma lógica interna diferente da lógica da Ciência. É fundamental que os modelos trazidos por eles se mostrem “insuficientes”, ainda que valorizados, para explicar um dado fenômeno, para que eles sintam a necessidade de buscar informações e reconstruí-los ou ampliá-los. Será preciso que os conteúdos e questões se apresentem aos alunos ao longo do ano, como um problema a ser resolvido... Serão promovidos momentos de desestabilização dos conhecimentos prévios, criando situações em que se estabeleçam os conflitos necessários para a aprendizagem - aquilo que estava suficientemente explicado, não se mostrará como tal na nova situação apresentada.
Possivelmente, nossos alunos já sabem ou já ouviram dizer que as plantas se alimentam da terra que consomem pela raiz, que elas produzem seu próprio alimento por meio da fotossíntese, para o qual concorre a água, a luz solar e o gás carbônico...
Em momentos como este, estabeleceremos um paralelo entre a lógica do aluno e a da Ciência, que se pretende que seja apropriada por ele. Neste contexto ainda, trabalharemos com questionamentos diários e deveremos ter em mente perguntas que poderão gerar conflitos, de modo que o aluno se mostre, para ele, insuficiente na explicação sobre a alimentação das plantas, neste caso, especificamente. Como o aluno poderá compreender que a terra não é alimento para a planta, que vegetais não comem terra? Serão feitos questionamentos do tipo” Se as plantas comem terra, por que a terra dos vasos não diminui?” “Como explicar o fato de algumas plantas viverem em vasos sem terra, só com água?” “ Como algumas plantas vivem sobre outras plantas, com as raízes expostas?” “ Como se pode provar que as plantas comem pela raiz?”
Questões como estas e outras tantas acerca do esgoto doméstico, da água doce do planeta, da coleta seletiva de lixo, dos animais que sofrem com as mudanças climáticas causadas pelo homem, serão um problema a ser resolvido, quando os alunos puderem ter a consciência de que seu modelo não é suficiente para explicá-las.
A problematização, certamente promoverá a mudança conceitual do aluno. É nesse processo intrinsecamente dinâmico de busca de informação e confronto de idéias, que o conhecimento científico se construirá nas diferentes etapas da escolaridade.

Outra questão significativa que não poderá faltar em nossas aulas, é a questão das Leis que protegem a natureza! O Código Florestal estabelece áreas de preservação permanente, ao longo dos cursos de água (margens de rios, nascentes e mananciais), que ficam impedidas de qualquer uso. Essas áreas se destinam, em princípio, à vegetação ciliar, especialmente importante para garantir a qualidade e a quantidade das águas, prevenindo assoreamento e contaminação. A Constituição brasileira impõe, também, a preservação do meio ambiente da Serra do Mar, da Floresta Amazônica, da Mata Atlântica, do Pantanal Mato-Grossense e da Zona Costeira. ( Constituição Federal, art.225,& 4º ).
Com o confronto inevitável entre o modelo de desenvolvimento econômico vigente que valoriza o aumento de riqueza em detrimento da conservação dos recursos naturais e a necessidade vital de conservação do meio ambiente, surge a discussão que também será valorizada ao longo deste projeto, sobre como promover o desenvolvimento das nações de forma a gerar o crescimento econômico, explorando os recursos naturais de forma racional e não predatória.
Desenvolvimento sustentável foi definido pela Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, ”como o desenvolvimento que satisfaz as necessidades presentes, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir as próprias necessidades”. Nas propostas apresentadas pelo programa das Nações Unidas para o meio Ambiente (Pnuma), emprega-se o termo desenvolvimento sustentável significando melhorar a qualidade da vida humana dentro dos limites da capacidade dos ecossistemas. Isso implica, entre outros requisitos, o uso sustentável dos recursos renováveis, ou seja, de forma qualitativa adequada e em quantidades compatíveis com sua capacidade de renovação.
A educação é elemento indispensável para a transformação da consciência ambiental. Fica evidente a importância de se educar os futuros cidadãos brasileiros, para que, como empreendedores, venham a agir de modo responsável e com sensibilidade, conservando o ambiente saudável no presente e para o futuro; como participantes do governo ou da sociedade civil, saibam cumprir suas obrigações, exigir e respeitar os direitos próprios e os de toda a comunidade tanto local, como global e, como pessoa, encontrem acolhida para ampliar a qualidade de suas relações intra e interpessoais com o ambiente tanto físico quanto social.

Objetivamos tornar os nossos alunos competentes para...

• Conhecer as características fundamentais do planeta nas dimensões sociais, materiais, econômicas, ambientais e culturais como meio para construir progressivamente a noção de identidade nacional e pessoal e o sentimento de pertinência ao país.
• Perceber-se integrante, dependente e agente transformador do ambiente, identificando seus elementos e as interações entre eles, contribuindo ativamente para a melhoria do meio onde vivemos.
• Utilizar as diferentes linguagens verbal, matemática, gráfica, plástica e corporal como meio para produzir, expressar e comunicar suas idéias acerca das relações entre homem e natureza.
• Questionar a realidade formulando-se problemas e tratando de resolvê-los, utilizando para isso o pensamento lógico, a criatividade, a intuição,a capacidade de análise crítica.

Objetivamos mais especificamente, torná-los capazes de ...

• Proteger contra a destruição e qualquer forma de degradação um ecossistema, uma área geográfica, as espécies animais e vegetais e os recursos hídricos.
• Utilizar apropriadamente o meio ambiente dentro dos limites capazes de manter sua qualidade e seu equilíbrio em níveis aceitáveis, para que não soframos com a falta de água, com a extinção da nossa fauna e da nossa flora, com a poluição do ar atmosférico e com o desperdício de materiais recicláveis ou reaproveitáveis.
• Recuperar ou reabilitar alguma área degradada, reflorestando espécies vegetais arrancadas, devolvendo à natureza animais silvestres criados em casa, recolhendo todo o lixo que usamos na praia, nas florestas que visitamos e nas ruas por onde passamos.
• Reaproveitar o lixo orgânico doméstico (cascas, sementes) no cozimento de sopas e no preparo de sucos, reutilizar caixinhas de remédio, forrá-las e usá-las como porta-lápis, comprar cartões de aniversário, Natal,etc, de material reciclado, apoiando estas atitudes de consciência planetária, usar papel de desenho em sala de aula( frente e verso), pois cada folha poupada, acarreta em menos algumas árvores de “eucalipto” derrubadas...

1º BIMESTRE- A água-

Sabendo cuidar, não vai faltar... Cuidando da água.)

Apresentação:

Sorte dos homens, vegetais e animais, o planeta Terra ter dois– terços de sua superfície coberta de água! Ela é também a casa de milhares de seres e microorganismos e ainda compõe grande parte do nosso corpo, mas se não cuidarmos dela, certamente ela vai acabar!
De toda a água do planeta, apenas 2,5% é doce e serve para consumo. Para complicar, a maior parte dessa água está congelada nos pólos e no topo das montanhas.

A contaminação do lençol freático(lençol d’água) por lixo, agrotóxicos, líquidos diversos, acaba, de uma forma ou de outra, chegando até nós. Se a contaminação não ocorrer diretamente, ocorrerá indiretamente, através dos alimentos contaminados que poderemos ingerir.
O ser humano polui a água de várias formas. Destacaremos aqui o esgoto doméstico e o industrial, que é o lixo que descartamos nos cursos d’água. A poluição cada vez se torna mais complexa com a diversidade de produtos lançados pela indústria e residências.
As relações que estabelecemos com o outro e com o meio, passam pela questão da ética ambiental e pelo exercício pleno da cidadania. Nossos alunos serão estimulados a influenciar as outras pessoas pelas boas atitudes em relação ao consumo consciente da água do planeta, reconhecendo-se como parte integrante da própria natureza, para que saibam que, ao preservá-la, estarão preservando a própria vida.
Iremos ressaltar que a energia elétrica gerada pela força das águas dos rios também é fundamental para a nossa vida atual e deve ser poupada, pois poupando energia, estaremos de alguma sorte, economizando água também.

Objetivo Geral

Favorecer a construção de uma preocupação consciente com os espaços em que habita, zelando pelos recursos hídricos do planeta, estabelecendo critérios de uso consciente.

Objetivos Específicos

Espera-se que os alunos:

1. Identifiquem as fontes de água do planeta.
2. Reconheçam a ação humana na poluição de rios, mares, mananciais, lençóis subterrâneos e matas ciliares.
3. Observem, registrem e percebam algumas semelhanças e diferenças entre diversos ambientes, identificando a presença comum da água.
4. Formulem perguntas e suposições sobre o assunto em estudo.
5. Organizem registros de informações por meio de desenhos, quadros, esquemas, listas e pequenos textos.
6. Valorizem atitudes e comportamentos favoráveis ao meio ambiente, desenvolvendo a responsabilidade e o cuidado com o meio em que vivem.
7. Identifiquem as causas e conseqüências da poluição da água.
8. Valorizar a vida em sua diversidade, preservando os ambientes.

Objeto social do conhecimento:
Biodiversidade.

Áreas de confluência:
Português
Ciências
História e Geografia
Matemática

Na Educação Infantil:

Português:
- Trabalho de oralidade (rodas de leitura) com o uso de livros paradidáticos como: “A viagem da gotinha”, “A última gota”, “O boto e seus amigos”, “Chuva e chuvisco” ;
- Uso de vídeos como: “A Era do Gelo 1 e 2” ;
- Produção de pequenos textos coletivos, cartazes mostrando as utilidades da água e seus usos;
- Observação de imagens que retratem o cuidado com as águas, seus usos (higiene, lazer, trabalho, geração de energia) e seu mau uso ou degradação (poluição, derramamento de óleo, morte de peixes) o seu mau uso.

Ciências:
- Exploração oral de algumas questões:
1. Aonde podemos encontrar a água;
2. O que podemos fazer com ela?;
3. Cuidados com este recurso natural.
- Construção de dicas coletivas sobre o uso racional e consciente deste recuso hídrico.

História e Geografia:
- Conhecendo o planeta (Fazer uso do globo terrestre)
- Pesquisa de imagens sobre as fontes de água doce (rios, mares, lagos...)
- O que acontece com a água, antes de ser usada. Falar (ao nível de cada grupo) sobre como a água é tratada antes de ser utilizada pela população.

Avaliação
Através da produção de material, observação permanente e discussão a partir dos objetivos propostos.

No Ensino Fundamental:

Português:
- Trabalho com o livro “A última gota” e “Por que devemos economizar água?”;
- Produção de textos, folders e cartazes sobre o assunto e divulgação pela escola.
- Leitura e reflexão sobre textos jornalísticos acerca do assunto em questão;
- Debates e “júri simulado” sobre o assunto.
- Leitura de livros no projeto de leitura sobre a questão da água.

Ciências:
- Assistir a vídeos sobre a água, como “A Era do Gelo” e demais do Canal Futura.
- Compreender as diferenças entre água doce e salgada, em termos de utilização e localização;
- Identificar as fontes de água do planeta (potáveis e não potáveis);
- Reconhecer como se dá o tratamento de água em nossa cidade;
- Elaborar dicas de uso racional da água e divulgá-las em casa, pela escola.

Matemática:
- Análise de contas de água, evidenciando o consumo em diferentes tipos de moradias e famílias;
- Construção de gráficos e tabelas sobre temas ligados ao desperdício, gasto de energia e resolução de situações problema.

História e Geografia:
- Localização das fontes de água do planeta;
- A água na nossa cidade (Questões históricas ligadas ao abastecimento de água no Rio de Janeiro);
- O rio Guandu e o Paraíba do Sul – Localização, uso, qualidade de suas águas.
- A importância de manter viva a mata ciliar, para que não haja assoreamento das águas dos nosso rios.

Avaliação
Através da produção de material, observação permanente e discussão a partir dos objetivos propostos.

Culminância: Visita a Estação de Tratamento de água da CEDAE

2º BIMESTRE- O lixo-

Cuidando do lixo...Que tal reciclá-lo e reaproveitá-lo?

Apresentação:
A abordagem que daremos ao lixo, será feita pelas investigações acerca dos resultados das intervenções humanas na circulação e transformação dos materiais no ambiente, tendo em vista a construção de conhecimentos básicos que fundamentem o valor à sua preservação.
A casa é um ambiente dinâmico, onde as pessoas trocam afetos, experiências, emoções, se abrigam, descansam,se alimentam, se banham e eliminam dejetos.Enfim, é o local em que as pessoas realizam as atividades mais íntimas e necessárias à sua sobrevivência.

Os fundamentos científicos devem subsidiar a formação de atitudes dos alunos. Não basta ensinar, por exemplo, que não se deve jogar lixo nas ruas, ou que é necessário não desperdiçar matérias, com água, papel ou plástico. Para que estas atitudes e valores se justifiquem, para não serem dogmas vazios de significados, é necessário informar sobre as implicações ambientais destas ações.

Objetivo Geral

Oferecer ao aluno condições de conhecer a evolução do tratamento do lixo,sua história e as necessidades fundamentais para o auxílio à despoluição e à degradação do meio ambiente.

Objetivos Específicos

Espera-se que os alunos...

1. Conheçam a história do tratamento do lixo e a preocupação com a evolução mundial.
2. Conheçam os diferentes destinos dados ao lixo produzido nas grandes cidades (lixões, aterro sanitário, incineração e usinas de reciclagem).
3. Evidenciem a necessidade da reciclagem e reaproveitamento dos alimentos.
4. Reconheçam a facilidade do aproveitamento do lixo reciclado. Sua duração – vida.
5. Valorizem a importância da reciclagem de papel, plástico e vidro para construir usinas geradoras de energia elétrica.
6. Sejam conscientizados sobre a importância do comprometimento com a reciclagem.
7. Investiguem a ação humana na circulação e transformação dos materiais utilizados por ele e suas intervenções no ambiente.

Objeto social do conhecimento:
Pluralidade sócio-cultural
Ética

Áreas de confluência:
Língua Portuguesa
Matemática
História e Geografia
Artes
Ciências

Na Educação Infantil...

Língua Portuguesa:
- Trabalho de oralidade e rodas de leitura na biblioteca escolar, fazendo uso de livros como: “O menino que quase morreu afogado no lixo”;
- Uso do vídeo: “Xuxinha e Guto contra os monstros do espaço” . vídeo fala sobre o lixo, a contaminação provocada em rios por este lixo e as doenças provocadas pelo chorume (aquela água liberada pelo lixo).
- Trabalho com histórias em quadrinhos do Cascão, mostrando a sua relação com o lixo e falta de higiene.
- Construção de textos coletivos sobre o assunto.
- Pesquisas sobre o assunto.

Matemática:
- Campanha de arrecadação de latinhas que poderão ser vendidas e o dinheiro revertido para instituições de caridade
. Trabalhar com as quantidades, elaborando situações problemas a este respeito.
- Construção da idéia de número.

Ciências:
- Conversas sobre o que é lixo e o que pode ser reaproveitado.
- Doenças que podem ser causadas pelo lixo no ambiente. Elaboração de pesquisa com os alunos e registro de idéias através de desenhos e textos coletivos.

Artes:
- Construção de maquetes, brinquedos,instrumentos musicais, utilizando a sucata como matéria prima.

Avaliação:
Através da produção de material, observação permanente e discussão a partir dos objetivos propostos.

No Ensino Fundamental

Língua Portuguesa:
- Trabalhos de análise de textos jornalísticos e reportagens, abordado esta temática.
- Criação de fórum e plenárias de debate.
- Elaboração de perguntas e suposições sobre a questão do lixo, lixões, aterros etc
- Realização de entrevistas e visitas, buscando levantar informações sobre esta temática.
- Uso de vídeos como: “Xuxinha e Guto contra os monstros do espaço”, “Globo ecologia sobre o lixo/reaproveitamento” e demais vídeos do Canal Futura”.
- Produção de textos.
- Leitura de livros no projeto de leitura sobre o lixo.

Matemática:
- Trabalho com gráficos e tabelas.
- Análise e cálculo da quantidade de lixo que é produzido na escola diariamente.
- Resolução de situações problemas.

Ciências:
- Estabelecer, através da pesquisa na Internet, a diferença entre reaproveitamento de materiais e reciclagem.
- Pesquisa e montagem de manual sobre o lixo, enfocando ações de não desperdício, uso consciente de matérias etc.
- Visitação à usinas de reciclagem ou entrevista à funcionários envolvidas neste processo.

Artes:
- Trabalho com sucata. (transformando o lixo em arte.)

Avaliação
Através da produção de material, observação permanente e discussão a partir dos objetivos propostos.

Culminância
Visitação à uma usina de reciclagem ou ao museu da COMLURB.

3º BIMESTRE- Vegetais-

A Floresta e a sua diversidade ambiental

Apresentação:
A proposta do tema é propiciar aos alunos reflexões sobre: paisagens de florestas, interferindo em possíveis concepções prévias e propiciando estudos sobre algumas florestas urbanas (Tijuca e Cantareira); a Mata Atlântica e a Floresta Amazônica; e a convivência cultural dos grupos com a natureza e os conflitos de interesse entre essas populações.
Apesar do estudo das paisagens ser mais freqüente no olhar geográfico, a proposta é estudá-las também da perspectiva ambiental. Por exemplo, algumas florestas brasileiras atuais são resultados de processos intensos de interferência humana, com regiões devastadas no passado e reconstituídas a partir de ações posteriores de recuperação, como no caso da Floresta da Tijuca, no Rio de Janeiro, e da Cantareira, em São Paulo.
Além disso, essas florestas especificamente são consideradas florestas urbanas, porque estão no meio de grandes cidades, contrariando o imaginário comum de que florestas estão somente localizadas em locais pouco habitados e distantes de espaços urbanos.

A referência geralmente tem sido a Floresta Amazônica como um espaço que abriga apenas elementos naturais.
Por outro lado, a idéia que se tem da Floresta Amazônica - de plenitude da natureza, sem interferência humana - é também um engano. A Floresta Amazônica, segundo os etnobotânicos, é uma floresta antropocêntrica, ou seja, boa parte dela tem sido canteiro de plantas de populações que há milhares de anos nela habitam.

Objetivo geral:
Espera-se que as crianças, através de estudos de diferentes paisagens, em diferentes tempos, reflitam sobre algumas relações entre seu mundo individual e privado e o mundo coletivo e público, e as dimensões ambientais, sociais, culturais, históricas e geográficas presentes em seu cotidiano.

Objetivos específicos.

Espera-se que os alunos:

1- Observem e analisem fatos e situações do ponto de vista ambiental, de modo crítico, reconhecendo a necessidade e as oportunidades de atuar de modo reativo e propositivo para garantir um meio ambiente saudável e a boa qualidade de vida.
2- Reconheçam diferentes paisagens de florestas, distinguindo-as de outras paisagens e refletindo sobre sua diversidade.
3- Estabeleçam relações entre paisagens de florestas e fatores ambientais, históricos e geográficos;
4-Conheçam e reflitam sobre povos que habitam as florestas, seus costumes, identidades e conflitos;
5-Ampliem seus domínios de leitura e elaboração de textos;
6-Conheçam e se posicionem em relação às responsabilidades quanto aos cuidados necessários com o meio ambiente;
7-Reflitam, respeitem e se posicionem em relação às diferenças históricas, geográficas e culturais das sociedades e das paisagens estudadas.

Objeto social do conhecimento:
Cidadania, Diversidade Ambiental e Cultural e Ética.

Áreas de confluência:
Língua Portuguesa
Matemática
História e Geografia
Artes
Ciências

Na Educação Infantil

Língua Portuguesa:
- Trabalho de oralidade e rodas de leitura na biblioteca escolar, fazendo uso de livros específicos para cada faixa etária contemplando a abordagem.
- Uso do vídeo:” O Rei Leão”, “Os Sem-Floresta”, Construção de textos coletivos (Releituras sobre o filme- oralidade)
- Pesquisas sobre o assunto- como são as árvores, flores e a interação entre animais e vegetais numa floresta.

Matemática:
-Jogos de comparação entre tamanhos de árvores, quantidades de frutos, flores.
- Exploração de gravuras( telas), objetivando trabalhar conteúdos de espessura, tamanho, cor)

Ciências:
- Observar, revitalizar e cuidar diariamente do canteiro da escola, registrando as observações numa planilha através de desenho.
- Experimentos adequados à faixa etária.

Artes:
Exposição bimestral de telas pintadas e confeccionadas com diferentes materiais, tintas, técnicas, para apreciação das famílias e de toda a comunidade educativa
( obedecendo ao conteúdo contemplado em cada bimestre).

Avaliação
Através da produção de material, observação permanente e discussão a partir dos objetivos propostos.

No Ensino Fundamental

Língua Portuguesa:
- Leitura e interpretação de textos variados (jornalísticos, informativos).
- Criação de fórum e plenárias de debate.
- Elaboração de um roteiro para realização de entrevistas e visitas, buscando levantar informações sobre o objeto em estudo.
- Produção de textos.
- Leitura de livros no projeto de leitura sobre a nossa flora.

Matemática:
- Trabalho com gráficos e tabelas.
- Análise e resolução de situação problema, estimativas e probabilidades sobre a situação de nossas florestas.

Ciências:
- Pesquisas envolvendo ambientes preservados e degradados, causas e conseqüências para a qualidade de vida das comunidades.
- Trabalhos em grupos sobre as florestas diferenciando a Floresta Urbana.
- Leitura em papeis e virtuais sobre a Floresta da Tijuca, comparando as paisagens, sua flora e fauna.
- Visita orientada a Floresta da Tijuca com roteiro previamente elaborado pelos alunos.

História e Geografia.
- Comparar paisagens de diferentes florestas, sua fauna e flora, sua ocupação e uso pelo homem.
- Localização cartográfica das matas e florestas e construção de legendas.

Arte.
Pinturas e releituras das paisagens abordadas.

Avaliação
Através da produção de material, observação permanente e discussão a partir dos objetivos propostos.

Culminância
Visita a Floresta da Tijuca com um guia especializado.

4º BIMESTRE- Os animais-

Os animais que habitam o planeta e nos encantam...( 4o bimestre)

Apresentação:
O mundo dos animais é um mundo sempre em expansão, onde a natureza expressa a sua imensa diversidade. Um mundo de bichos estranhos e engraçados, muitas vezes ameaçados por um outro bicho curioso e gozado; o bicho-homem.
Há vida animal em todo canto do planeta, garantindo a biodiversidade. Nas mais escuras cavernas, vivem os besouros, no pico das mais altas montanhas, encontram-se aranhas peçonhentas, nas profundezas do oceano, onde não há luz, vivem seres luminosos que não podem faltar na cadeia alimentar. E assim, a natureza vai cumprindo sua função...
Serão estudadas as diferentes formas de proteção à fauna do planeta, objetivando minimizar a questão da extinção de espécies aquáticas e terrestre, que sofrem com a caça predatória Eles têm um papel importante a desempenhar na cadeia da vida e hoje lutam para sobreviver às agressões do homem.

Objetivo Geral:
Propiciar um maior conhecimento, através de atividades lúdicas e educativas onde serão transmitidas noções que possibilitam uma tomada de consciência em relação à preservação dos animais, entendendo que o ser humano faz parte desse conjunto e atua sobre ele.

Objetivos específicos:
Pretende-se que os alunos...

1. Compreendam e desvendem os mistérios da fauna marinha e das regiões polares.
2. Desenvolvam o espírito científico, como forma de compreender a vida animal.
3. Identifiquem e agrupem os animais conforme o revestimento do corpo, seu habitat e suas características, que garantem a diversidade da vida. no planeta.
4. Observem o comportamento de animais que despertam a nossa curiosidade, como os bichinhos de jardim, os insetos, os mamíferos aquáticos, bichos da fazenda,etc.
5. Desconstruam e reformulem novos conhecimentos acerca dos animais, a partir da consciência crítica que será formada a partir de reflexões diárias.
6. Mudem de atitude acerca do cuidado que devemos ter com a vida animal.

Objeto social do conhecimento:
Biodiversidade.

Áreas de confluência:
Língua Portuguesa
Matemática
História e Geografia
Artes
Ciências

Na Educação Infantil...

Ciências:
- Hora do conto com livros sobre os animais e suas curiosidades.
- Observação de animais domésticos trazidos pelos alunos a cada semana
( jabuti, pássaro, cachorrinho, peixinho)
- Registro das características deles em blocão, mural.
- Construção de um ambiente gelado, para entender o habitat desses animais . Vamos ilustrar essa aula construindo geleiras, feitas de sucata, que representará o clima do pólo norte e sul.

Estudos Sociais:
- A história das fazendas e das pessoas que vivem nelas com os animais e deles retiram deles seu sustento.
- A história da nossa floresta urbana, “ Floresta da Tijuca” e registros da sua fauna e flora ao longo do tempo.

Linguagem:
- Expressão oral em rodas de leitura sobre a vida animal no nosso planeta.
- Leitura de imagens e produção escrita coletiva sobre as curiosidades dos insetos, animais marinhos, etc.
- Assistir a vídeos, como “ Vida de inseto”, “ A fuga das galinhas”, “ Lucas no formigueiro”, “Madagascar”, “ Babe, o porquinho na fazenda”, “ O bicho vai pegar”, etc e refletir sobre a história de cada um deles.
- Elaboração de livrinhos de pano por turma para serem expostos para a escola e para as famílias, num dia de “Espaço Cultural”, que poderá acontecer bimestralmente na Educação Infantil.

Artes:
- Construção de maquetes, murais e painéis sobre os diversos ambientes do planeta Terra onde a vida animal cumpre a sua função.
- Técnicas variadas (modelagem, dobradura, pintura, etc)
- Brincadeiras no pátio sobre os animais( mímica, trilha dos bichinhos com o alimento de cada grupo de animais)
- Dramatização dos filmes assistidos sobre os animais, teatro de fantoches e “dedoches” ( com orientação das professoras), para os demais alunos do Ensino Fundamental, escola e família assistirem, objetivando socializar o conhecimento construído.

Matemática:
- Resolução de situações problema ( oralmente), com e sem informações numéricas, desenvolvendo o raciocínio lógico e a capacidade de resolver desafios ( em rodas)
- Numerais/quantidades conforme a faixa etária dos alunos.
- Noções de grandeza;
- Ilustração de quantidades ou representação de dados sobre os animais com sucata, ou com os próprios alunos, montando gráficos e tabelas “móveis” em sala e no pátio, para análise da turma e percepção de quantidade, valores,etc.

No Ensino Fundamental:

Ciências:
- Hora do conto com livros sobre os animais e suas curiosidades.
- Observação de animais domésticos trazidos pelos alunos a cada semana
( jabuti, pássaro, cachorrinho, peixinho)
- Registro das curiosidades da nossa fauna em murais, meia-pauta,etc.
- Assistir a vídeos, como “ Vida de inseto”, “ A fuga das galinhas”, “ Lucas no formigueiro”, “Madagascar”, “ Babe, o porquinho na fazenda”, “ O bicho vai pegar”, etc e refletir sobre a história de cada um deles.
- Elaboração de livrinhos de pano por turma para serem expostos para a escola e para as famílias, num dia de “Espaço Cultural”, que poderá acontecer bimestralmente no Ensino Fundamental.
- Campanha pela preservação dos animais do planeta Terra com panfletos e folders por turma.

Estudos Sociais:
- A história das fazendas e das pessoas que vivem nelas com os animais e deles retiram deles seu sustento.
- A história da nossa floresta urbana, “ Floresta da Tijuca” e registros da sua fauna e flora ao longo do tempo.
- Estudo dos diferentes espaços geográficos que existem e a capacidade dos animais sobreviverem em cada um, de acordo com o clima, vegetação dos ambientes, etc.

Linguagem:
- Expressão oral em rodas de leitura sobre a vida animal no nosso planeta.
- Leitura de reportagens e produção escrita coletiva sobre as curiosidades dos insetos, animais marinhos, etc.
- Assistir a vídeos, como “ Vida de inseto”, “ A fuga das galinhas”, “ Lucas no formigueiro”, “Madagascar”, “ Babe, o porquinho na fazenda”, “ O bicho vai pegar”, etc e refletir sobre a história de cada um deles.
- Elaboração de livrinhos de pano por turma para serem expostos para a escola e “doado” para a Educação Infantil.
- Leitura de livros do projeto de leitura referentes à vida animal.

Artes:
- Construção de maquetes, murais e painéis sobre os diversos ambientes do planeta Terra onde a vida animal cumpre a sua função.
- Técnicas variadas (modelagem, dobradura, pintura, etc)
- Brincadeiras no pátio sobre os animais( mímica, trilha dos bichinhos com o alimento de cada grupo de animais).
- Dramatização dos filmes assistidos sobre os animais, teatro de fantoches e “dedoches” ( com orientação da professora especialista), para os demais alunos da escola e família assistirem, objetivando socializar o conhecimento construído.

Matemática:
- Resolução de situações problema ( oralmente e em folhas, cadernos), com e sem informações numéricas, desenvolvendo o raciocínio lógico e a capacidade de resolver desafios .
- Numerais/quantidades conforme a faixa etária dos alunos.
- Noções de grandeza;
- Análise e confecção de gráficos e tabelas com dados sobre a vida animal e ilustração de quantidades ou representação destes dados.

AVALIAÇÃO
Através da produção de material, observação permanente e discussão a partir dos objetivos propostos.

CULMINÂNCIA
Visitação à fazendinha “Estação Natureza”.

Sugestões de sites para enriquecimento do trabalho:

www.recreioonline.com.br
www.geocites.com.br
www.turmadamonica.com.br

Desenvolvimento, Manutenção e Hospedagem de Sites